UNIFORME ESCOLAR

O Uniforme consta de: Bermuda oficial da escola (qualquer dos modelos) e blusa oficial da escola (qualquer dos modelos). É permitido o uso de calça cumprida preta ou azul.

O calçado permitido: tênis, sapatilhas e/ou aquele que fica preso ao calcanhar. É proibido o uso de calçados de salto, tamancos, rasteirinhas e chinelos pelo risco de acidentes.

Para as aulas de Educação Física, obrigatório o uso da bermuda ou calça leg,tênis e meias.

As turmas da educação infantil lancham dentro da sala de aula e logo após vão para outro espaço, acompanhados do professor, para que seja efetuada a higienização da sala.

Os alunos da Educação Infantil e fundamental I, têm horários de lanche diferenciados para que o pessoal dos serviços gerais e limpeza possam atender prontamente a todos, bem como oferecer maior espaço e segurança para as crianças neste período.

 

SAÚDE DOS ALUNOS

O preenchimento da ficha médica com os dados dos alunos é muito importante.
Caso a criança apresente alguma indisposição no colégio, estaremos ligando para os pais e comunicando imediatamente o que está acontecendo e as providências a serem tomadas.

Os pais não devem enviar seu filho à escola, quando este estiver doente, acreditando que ele será cuidado. Isso gera insegurança na criança e desvia o objetivo daescola.

Em caso de acidente ou mal-estar súbito da criança, quando entregue a nossos cuidados, primeiramente procederemos no aviso aos responsáveis.

Caso estes não sejam encontrados e a situação exija a presença médica, encaminharemos ao pronto socorro ou ao hospital que for informado pela família.

Em vista disso, todos os dados necessários devem ser mantidos em dia. A escola não poderá ser responsabilizada por problemas provenientes desse descuido.

Quando a criança apresentar mal-estar, febre, dor de cabeça, gripe, etc., deverá permanecer em casa, pois acreditamos que ninguém melhor do que os familiares pra cuidar e protegê-las, pensando no bem estar também dos outros alunos, portanto nos mantenha atualizados quanto ao endereço e telefones dos pais e responsáveis pela criança.

INTEGRAÇÃO COM A FAMÍLIA

Toda e qualquer comunicação feita pela escola será por escrito, em circular numerada e entregue ao aluno, através desta agenda ou por e-mail. Na escola, instruímos o aluno para que entregue a correspondência aos pais, mas cabe, também, aos responsáveis verificarem as agendas das crianças, ou cadernos.

O número de telefone é a fonte de comunicação entre a escola e os responsáveis, por isso qualquer modificação deverá ser informada imediatamente.

Comemoração de aniversários: O responsável que quiser comemorar o aniversário de seu filho (a) na escola terá que marcar com antecedência com a coordenadora e pagar uma taxa de serviços extras, para essa comemoração.

Solicitamos atentar para o período de adaptação, quando não agendamos aniversários na escola.

RECUPERAÇÃO

Os alunos que não atingirem mínimo exigido receberão estudos de apoio/reforço ao final de todas as etapas consideradas sínteses, podendo estas coincidir ou não com os bimestres letivos.

Para passar ao trabalho de reforço, os alunos passarão por novas avaliações de aproveitamento, sendo mantida a maior nota no boletim;

Findado o ano letivo o aluno terá ainda a oportunidade de fazer uma prova final e será promovido ou não de acordo com a média atingida.( 6,0)

Os estudos de recuperação previstos em lei são realizados simultaneamente ao processo de ensino e de aprendizagem, conforme prevê a proposta pedagógica, e assume na escola um novo caráter pedagógico que implica:

Considera a recuperação um elemento inseparável do processo permanente de avaliação, vinculado aos aspectos relevantes tanto da formação geral quanto da específica;


Garantir ao aluno, durante todo o processo educativo, as oportunidades para a superação de possíveis dificuldades, através do apoio e diferenciado do educador responsável pelo apoio nos níveis de sua atuação;

Permitir ao professor, redimensionar e refletir sua prática.

ADAPTAÇÃO

A adaptação é o processo pedagógico que tem por finalidade situar o aluno transferido de cada disciplina ou área de estudo.

A adaptação ocorrerá quando houver divergências nos currículos, com componentes curriculares não estudados.

Complementação de carga horária;

Conteúdos programáticos incompletos;

Estudos de componentes curriculares não vistos pelo aluno na escola de origem e que não verá na sequência do currículo na escola de destino.

A adaptação faz sempre de maneira progressiva e, utilizando aulas individuais e trabalhos em grupos, quando for o caso em horário diferente do seu período de matrícula, em no máximo 05 (cinco) disciplinas.

A forma de adaptação deve atender as exigências de frequência e aproveitamento.

Nas adaptações de alunos procedentes do estrangeiro obedecer-se- ão as normas legais vigentes.

CLASSIFICAÇÃO E RECLASSIFICAÇÃO

Classificação é a matrícula do aluno ou do candidato em etapa organizada pela escola (série, ano, ciclo, fase, etapa, etc.) adequada ao seu nível de competência, respeitada a correlação idade/série.

A classificação do aluno, em qualquer etapa, ano, série ou fase, exceto a primeira do ensino fundamental, será feita:

Por promoção, para os alunos procedentes de outras escolas, mediante apreciação do Histórico Escolar, evidenciando aproveitamento;

Independentemente de escolarização formal anterior ou quando for comprovadamente impossível a recuperação dos registros escolares,mediante
Avaliação feita pela instituição receptora, para situá-lo na etapa, série, ano, ciclo, período ou fase adequada.

Para a classificação deverão ser verificados os conteúdos da base nacional comum.

Reclassificação do aluno é o seu reposicionamento em etapa organizada pela escola, diferente daquela indicada em seu histórico escolar.

A reclassificação será feita mediante processo avaliativo realizado pelo Conselho de Classe, e no caso das turmas iniciais do Ensino Fundamental ou equivalente, Ensino Fundamental e Ensino Médio – Modalidade de Educação de Jovens e Adultos, pelos professores dos alunos, antes do início do 2º Bimestre Letivo, de acordo com a legislação vigente.

A reclassificação tomará como base as normas curriculares normais, preservando a sequência, considerando na avaliação, o grau de maturidade, competências e habilidades mínimas para prosseguimento de estudos;
O resultado da avaliação, justificativa e procedimentos adotados, deverão constar em Ata lavrada em livro próprio, assinada pela direção, Conselho de Classe e/ou professores envolvidos no processo e arquivados na pasta individual do aluno;

Somente poderão ser beneficiários da reclassificação alunos em situação de defasagem idade – série, que apresentam rendimento escolar superior ao exigido;

Não será permitida a reclassificação para a série anterior ao que o aluno tenha sido aprovado;
Não poderá ser reclassificado em série posterior o aluno que, no ano antecedente, tenha sido reprovado por aproveitamento.

AVALIAÇÃO DE CONHECIMENTOS

Avaliação no processo ensino-aprendizagem dar-se á através do processo de: 

I – Avaliação de rendimento escolar;
II – Recuperação;
III – Promoção;
IV – Frequência. 

A avaliação será contínua com o acompanhamento da equipe técnica- pedagógica e seus resultados computados ao final de cada conteúdo trabalhado. Durante o ano letivo, de acordo com a organização curricular e seu desenvolvimento metodológico, será atribuída no 10,0 (dez), para um rol de cada atividade ou área de estudo, em cada bimestre, levando-se em conta a soma das notas atribuídas aos itens definidos e norteados no uso dos instrumentos. 

A nota atribuída às atividades específicas da prática e da aprendizagem, durante cada bimestre, será distribuída levando-se em conta a relevância das atividades, no currículo escolar no período específico q que se refere e principalmente em relação ás competências e habilidades a serem desenvolvidas. 

Poderão ser desenvolvidas tantas atividades quantas forem necessárias, de acordo com a proposta de série, área ou disciplina, ou em conjunto, sob a forma de projeto. 

A avaliação entendida como um aspecto que apóia, aprimora o processo de ensino e aprendizagem compreende o julgamento da qualidade do ensino e da aprendizagem visando uma tomada de decisões para auxiliar o aluno a avançar rumo aos objetivos propostos, em implicar em: I – Diagnosticar a realidade do aluno e do processo de ensino e de aprendizagem, possibilitando o replanejamento das atividades de ensino, para que efetivamente seja garantida a consecução dos objetivos da proposta curricular;
II – Possibilitar ao professor o acompanhamento processual e sistemático do desempenho do aluno, durante o ano letivo, de forma individual e coletiva, para simultaneamente, auxiliá-lo na superação de possíveis dificuldades, incentivando- o ao estudo e a auto -avaliação;
III – Informar ao aluno sobre seu aproveitamento, para que ele possa situar-se em relação ao seu desempenho, e posicionar-se de forma crítica e corresponsável pelo resultado obtido.

A avaliação do aproveitamento do aluno deverá incidir sobre o desempenho do mesmo, nas diversas áreas do desenvolvimento humano e suas potencialidades.

Para análise do desempenho serão definidos alguns critérios gerais que deverá nortear o trabalho pedagógico, como a interação nos diferentes processos de aprendizagem, que abrange:
I – Participação e envolvimento;
II – Capacidade de relacionar-se;
III – Capacidade de resolver conflitos;
IV – Abertura para diálogo;
V – Autonomia nas questões de caráter individual e coletivo;
VI – Responsabilidade. 

O disposto neste artigo aplica-se a todos os componentes curriculares, independentes do tratamento metodológico específico e de sua exigência para fins de promoção. A avaliação será feita se confrontado as observações e as diversas formas de registro, incluindo resultados em provas obtidas no processo educativo. Esta estará a serviço do desenvolvimento do aluno e dos objetivos propostos. 

São definidos para o trabalho pedagógico de avaliação, no geral, os seguintes instrumentos:
I – Observação;
II – Portfólios;
III – Auto – avaliação;
IV – Diários de trabalho;
V –Entrevistas;
VI –Provas, testes, simulados e projetos;
VII – Textos diversos: Inventários, relatórios, trabalhos científicos. 

Durante o ano letivo, de acordo com a organização curricular e seu desenvolvimento metodológico,será atribuída nota 10,0(dez), para um rol de cada atividade ou área de estudo, em cada bimestre levando-se em conta soma das notas atribuídas aos itens definidos e norteadores no uso dos instrumentos

APROVEITAMENTO ESCOLAR

Para o Ensino Fundamental será considerado aprovado o aluno que obtiver, nos quatro bimestres no mínimo a média 6,0 (seis).

Os alunos de Educação Infantil serão promovidos automaticamente, respeitando a faixa etária. A avaliação de estudos é compatível com a formulação curricular centrada no desenvolvimento de competências e habilidades. – O aluno mediante recuperação simultânea que não obtiver a nota 6,0 (seis) na soma dos quatro bimestres deverá receber atenção especial dos professores, através de orientação e submeter-se á estudos de apoio/recuperação concentrados, afim de que atinja os resultados considerados satisfatórios no processo deavaliação. – Nos estudos de apoio, o aluno deverá obter 6,0 (seis) em cada atividade ou área, exigida como resultado final satisfatório devendo esta verificação incidir sobre os objetivos não alcançados.